quarta-feira, 26 de julho de 2017

Comecando o treino para a primeira maratona

Treinei no Parque da Jaqueira durante todo o mês de janeiro trotando uma média de 7,00 KM diariamente. Lendo alguns blogs vi que alguns maratonistas estavam marcando uma reunião para conversarem sobre a Maratona de Porto Alegre já que muitos estavam interessados. Ficou marcada para o início de Fevereiro. No dia fui até o Portal de Picanha, quando conheci alguns maratonistas e alguns candidatos. Conversamos muitos mas pouco se falou sobre a de Porto Alegre. Sai de lá decidido a participar de uma maratona o mais rápido possível. Escutei sobre a Maratona de Berlin que seria em setembro e fiquei muito animado pois estávamos no início de fevereiro e a maratona de Berlin seria em 20 de Setembro, e daria tempo bastante para  treinar. Chegando em casa fui logo entrar no site para tentar fazer minha inscrição. Frustrado pois era tudo em alemão ou em inglês. Liguei para Júlio pedindo para me ajudar a fazer a inscrição e ele informou que na segunda feira a turma iria se reunir no mesmo bar para fazer a inscrição. Fui lá e consegui fazer a minha inscrição na primeira maratona, a de Berlin e coversando descibri que para ir para a de Nova York teria que participar de um sortei e fiz logo a minha inscrição no sorteio. Então comecei a treinar com um objetivo mais definido que seria a Maratona de Berlin em 20/09/2009. Mas escutava a turma falar na de Florianópolis e na de Porto Alegre. A de Floripa foi logo no início de abril mas a de Porto Alegre seria no dia 24 de maio. No início de março fiz o meu primeiro longao, e como só corria entre 7 a 10 km levei dinheiro para pegar transporte para acompanhar a turma, pois só conhecia a metade do percurso. O treino previsto seria de 28,00 Km. Sai junto da turma, mas antes de completar o primeiro km já não avistava mais ninguém, mas como congênita a primeira parte do percurso fui tranquilo. Quando cheguei em Camaragibe peguei um ônibus para subir a ladeira de Aldeiae fui até o km 4,5 quando comecei a ver a turma e desci do ônibus e continuei a corrida até uma parada prevista na metade da varrida para tomar água e reabastecer. Alguns foram chegando e perguntavam como tinha passado e informei que foi de ônibus e todos caíram em gargalhada. A segunda parte eu não conhecia e sai antes da turma mas com menos de 30' já me alcançaram mas já começava a aparecer a turma que começava a caminhar e foi fácil acompanhar e quando chegamos no Sítio dos Pintos peguei uma carona no carro. Terminei correndo 18,00 Km e de carro 10,00 km. Nos próximos já corri todo o tempo. Com dois meses de treino Já me sentia bem e cada dia ficava mais forte o desejo de gorrete logo uma maratona e estava amadurecendo a minha ida para Porto Alegre. Não consegui ficar junto do grupo de Pernambuco e fiquei só num hotel distante de todos mas chegou una turma de Natal e já me enturmei. Fui tranquilo, decidido a terminar nem que fosse caminhando no tempo que fosse necessário.




sexta-feira, 21 de julho de 2017

De Sedentário a Maratonista


Em Dezembro/2007 apresentei uma crise hipertensiva, 180 X 140 mmHg, todas as taxas fora dos níveis normais. Comecei a tomar Losartana 50 mg 2 X Dia. Era tabagista, fumando aproximadamente 2 carteiras de cigarro(Marlboro, Carlton, Hollywood e quando conseguia Gitanes mas o que mais gostava era Gauloise(fumo negro). Comecei a caminhar 15 voltas no Parque da Jaqueira, depois comecei a trotar 100 metros e caminhar 100 metros e fui variando as distâncias). Tudo isso era com o propósito de parar de fumar e deixar de tomar os comprimidos. Logo minhas taxas normalizaram,  com 6 meses resolvi só tomar 01 comprimido a noite, mas monitorando 3 x dia. Em novembro/2008 consegui correr meu primeiro Km, uma volta no Parque da Jaqueira. Terminei o mês correndo 3 Km, três voltas no Parque diariamente correndo e uma 12 caminhando. Comecei a pesquisar sobre corrida.  Em dezembro resolvi parar de tomar o outro comprimido de Losartana 50 mg, tinha passado 6 meses sem alteração e fui logo fazer um novo ergométrico e relatei a minha história só cardiologista. Fiz o ergométrico e ele falou que se continuasse a correr não precisaria mais tomar a medicação. Nesse período li uma reportagem sobre a Maratona de Nova York. A jornalista relatava como tinha sido os treinos, como tinha sido a corrida e depois o pos-maratona. Fiquei em êxtase, era só treino e prazer e não sofrimento como imaginava e mandei um e-mail para ela dizendo que a partir daquele momento eu era maratonista. Ela me respondeu depois de 15 dias, disse que estava de férias na praia sem internet. Continuei os treinos, procurando os maratonistas pernambucanos e correndo no Parque da Jaqueira, em janeiro/2009 já bestava correndo 7 km. Estava lendo muito, alguns blogs e postagens  de

pernambucanos mas não conhecia ninguém.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

MARATONAS/2017

102) Maratona Internacional de São Paulo/2017 em 09/04/2017
103)LimaK42/2017 em 21/05/2017                                                                                                     104) Maratona do Rio/2017 em 18/06/2017
105) SP City Marathon/2017 em 30/07/2017
106) Maratona Internacional de Florianopolis/2017 em 27/08/2017
107) Desafio Praias e Trilhas em 23/09/2017
108) Desafio Praias e Trilhas em 24/09/2017
109) Maratona Internacional de Recife, 01/10/2017
110) Maratona de Lisboa em 15/10/2017
111) Maratona Cidade de Salvador em 22/10/2017
112) Maratona de Curitiba em 19/11/2017

MARATONA DO RIO/2017

A MARATONA DO RIO/2017 foi a minha maratona de número 104, a terceira no ano de 2017.

sábado, 27 de maio de 2017

Ruas de Cuscu













MARATONA DE LIMA: LIMAK42

Foi minha centésima terceira maratona. Difícil mas desafiante. Começamos a descer e depois de uns 10 km começo a ficar preocupado com a subida que só lá pela metade da maratona é que começa a aparecer. Fica difícil quando a parte que aí exigir mais esforço é justamente quando está chegando o famoso muro. Mas vamos administrando e chegando para mais uma. A próxima agora será a Maratona do Rio.

sexta-feira, 20 de maio de 2016

domingo, 13 de março de 2016

















terça-feira, 26 de janeiro de 2016

BR 135 + Ultramarathon/2016

Passo a noite bem, acordo duas vezes para ir ao sanitário, ainda com diarreia e astenia, dores na cabeça, sintomas de virose. Acordo cedo e vou tomar café, encontro vários atletas conhecidos de outras ultras mas encontro o Valmir Nunes o qual só conheço de leituras, gostaria muito de ir falar com ele mas não é o meu costume. Depois de tomar café vou acordar Fernando Frasao que será meu motorista e apoio para tomar café pois precisamos ir para a Unifae para realizar os tos necessários paravreceber o kit da Br 135 +. Fomos, encontramos muitos conhecidos, pois este ano parece ter mais participantes pois tem quarteto, dupla e solo em maior número. Este ano tem a pesagem mas não sei pra quê pois não somos pesados mais em nenhum momento. Depois vem o almoço, Congresso Técnico e entrega dos chips. Saímos para comprar maltodextrina, capa de chuva e várias compras no supermercado. Deixamos para comprar o gelo no dia seguinte, logo após a largada. Este ano a doação tem que ser em alimento, não estão aceitando em dinheiro. As camisas este ano estão com melhor qualidade pois as do ano passado foram péssimas, já acabaram, o que não ocorreu com outras de anos anteriores. Vou para o hotel descansar pois ainda estou com diarreia e astênico, mas melhorando. O café da manhã será servido as 05:30 hs e a largada será as 08:00 hs e me preparo para ir para a largada as 07:30 hs.

BR 135 + Ultramarathonn


  1. Fiz minha inscrição para a modalidade de 217 km em 48 hs com possibilidade de passar para 260 km em 60 horas em Paraisopolis se chegar antes das 48 hs. As reuniões, entrega de documentos, pegar o kit, almoçar e reunião técnica seria no dia 20/01/2016.Pesquisando passagem só encontra para chegar a tarde, então decido ir na terça, dia 19/01/2016. Vou em um voo da Azul, saindo de Recife às 8:30 hs, conexão em Salvador e chegando em São Paulo as 14:00 hs. Já embarcado o piloto avisa que perceberam na revisão que tem um pneu careca e era preciso trocar e duraria 40'. Chegamos em São Paulo as 14:40hs. Espera Fernando no Aeroporto de Guarulhos. Durante o voo comi o que foi oferecido para lanche é algo me fez mal, acho que foram umas balas de gelatina. Comecei a sentir cólica e depois de segurar um pouco vou até o sanitário e guardo o casaco. Estou com diarreia, minha conclusão foram os bobons que me deixaram doente. Logo que saio do sanitário pego o casaco e visto, mas começo sentindo um frio muito grande, tremores, visto mais duas camisas e não melhora, está fora do normal. Observo as outras pessoas e não percebo ninguém sentindo frio, alguns tomam sorvete e chego à conclusão que estou doente e falta menos de 36 hs de uma prova duríssima. Fernando Frazao, um colega que vai fazer o apoio, dirigindo, preparando a comida e tirando fotos, será necessário estarmos em harmonia porque a prova leva aos limites do estresse. Vamos para São João da Boa Vusta, para o Libero Hotel, próximo ao centro e também a largada. Vamos dormir para amanhã começarmos os preparativos.



quinta-feira, 26 de novembro de 2015

BR 135 + ULTRAMARATHON: MEU PROXIMO DESAFIO

Estou inscrito na modalidade da BR 135 + de 217 km em 48 horas, podendo mudar paran260 km em 60 horas quando chegar em Paraisópolis. Nas minhas participações nas ultramaratonas vem acontecendo que não venho conseguindo chegar ao final sistematicamente, sempre tentando superar estas dificuldades, o principal motivo continua sendo os treinos errados, treino muito mas termino não tendo um resultado satisfatorio. Nos meus treinos tenho a tendencia de agregar novas modalidades de treinos acumulando com as que venho treinando e termino entrando em overtrainng. Venho tentando organizar meus treinos e eliminar essa tendencia, tambem estou tentando chegar ao meu peso ideal de atleta que conclui que é de 65 a 70 kg, mas nunca consegui ficar abaixo dos 80kg por mais de 15 dias.